Ensaios de Saias

um teclado nas mãos, uma saia nos quadris, e muitas ideias na cabeça

Arquivo de : Pessoal

Lei de Murphy para mudanças Rio-SP

1 – o carro que você reservou uma semana antes não estará disponível na hora em que você precisar (“que tal amanhã às 10 da manhã?”)

…….. 1a – vão te arrumar um carro grande com desconto, mas que não vai comportar todas as suas coisas e você precisará adotar a técnica do DESAPEGO

……………. 1a * – o objeto sem o qual você jamais poderia viver será o primeiro a ser largado em casa. Depois serão as suas roupas e sapatos.

2 – quando for buscar os presentes que sua mãe te deu, o elevador do prédio dela vai quebrar, te obrigando a fazer 7 viagens de escada por 8 andares (!), para cima e para baixo, e sua perna ficará dolorida por 3 dias.

…….. 2a – lembrando que sua mãe te deu coisas extras de presente, são exatamente estas que não caberão no carro.

…….. 2b – após 18 dias de sol, faltando poucas horas pra pegar a estrada, vai começar a chover.

3 – você vai precisar voltar à sua cidade no dia seguinte, para buscar o que deixou e levar de ônibus – tudo correndo porque no próximo dia entregarão a sua geladeira.

…….. 3a – já no Rio, sua irmã e você perderão a saída da Brasil pro aeroporto umas 3 vezes, e vocês vão gastar parte do combustível que já estava ok pra devolver o carro à locadora.

…….. 3b – simplesmente não vão entregar a sua geladeira na data marcada. Nem no dia seguinte. Mas no site vão dizer que tudo está ok.

4 – depois de mais sessões de desapego, o seu pai vai entender o seu “tudo o que está na sala vai” como “o cesto amarelo não vai”, e você só perceberá isso horas depois, dentro do táxi.

…….. 4a – o taxista falante da noite não vai deixar você conversar com o seu pai.

…….. 4b – você vai morrer em R$ 15 no Rio e R$ 18 em Sampa pra um carregador levar todas as suas tralhas por uns 200 metros num carrinho que você saberia manejar.

…….. 4c – vão mudar a plataforma do seu ônibus, depois dele estacionado e de você já ter colocado tudo no “lugar certo” e ser a primeira da fila pra despachar bagagens. Você será capaz de CRIAR palavrões.

5 – o taxista em Sampa vai te cobrar preço de turista. E, mesmo sabendo disso, você vai pagar sem reclamar.

6 – se você for mulher, o esmalte vai descascar até a metade de todas as suas unhas e você vai aprender que não adianta ficar bonita pra se mudar.

7 – Ao começar a faxina, você vai reparar em detalhes que te incomodam na casa, mas que a euforia ao vê-la pela primeira vez não te permitiram notar.

…….. 7a – você vai desejar que o nome da última moradora seja Larissa, só pra poder dizer “ Larissa, sua poIrca !!!”

…….. 7b – você vai querer saber se os antigos moradores eram ciganos / indianos e estendiam tendas pela casa, porque encontrará pregos e ganchos sobre as portas, nas portas, nas quinas das paredes, no teto e nos azulejos. Mas hein?

…….. 7c – durante as faxinas, suas unhas vão também quebrar, descamar e ficar no estilo “africaninha”. Sua sobrancelha vai ficar tão trash que você nem vai querer tirar fotos de si mesma.

8 – no primeiro momento em que colocar os pés na rua, você vai ser abordada por uma senhora que investigará a sua vida sem nem antes se apresentar. Você será evasiva e esquecerá da educação que sua mãe te deu, dando as costas pra velhinha, sem cerimônia.

9 – o chaveiro, que não aceita débito, vai levar 95% das suas cédulas, e você passará dois dias com o dinheiro super contado porque ainda não sabe onde são os bancos.

10 – no supermercado (e também na rodoviária), haverá um caixa eletrônico do BB, e será o único com fila. Tem 7 do Bradesco, mas o Bradesco deve ter clientes invisíveis.

…….. 10a – paulistas gostam de transações bancárias. Mesmo com somente duas pessoas na sua frente, você vai passar uma eternidae esperando. Aparentemente o cara vai ver o saldo, tirar um extrato dos últimos 5 meses, pagar 3 contas, transferir algo pra poupança, sacar, enviar dinheiro para os parentes no Pará, e arrumar uma maneira de aplicar na Bolsa também.

11 – No supermercado Extra de Guarulhos é mais fácil achar uma cama elástica do que uma vassoura.

…….. 11a – o Extra perto da sua casa vai bombar em promoções relâmpago de artigos que você não quer comprar.

…….. 11b – promoções em São Paulo fazem os produtos ficarem com os preços do Rio em véspera de Natal.

…….. 11c – a única tábua de vaso sanitário do estilo e cor que você quer vai estar fora da embalagem, e você vai ter que chorar pra fiscal de loja deixá-la levar os pininhos da tábua de outra cor.

…….. 11d – você vai levar dois pares de luvas iguais, porque a caixa enrolada vai te fazer esquecer que eles estavam ali pra ver se o que vinha com uma esponja “grátis” era mais caro.

…….. 11e – só em casa você vai descobrir o quão perigosa é a escada que você comprou, porque não faz “clic”

…….. 11f – você vai descobrir que a maior altura da sua tábua de passar é baixa (e você só tem 1,61m!), e que a menor altura permitiria o alcance de uma criança de 2 anos.

12 – você não vai saber o que fazer com a tábua de vaso, a vassoura e o rodo que já estavam na casa. Nem com as lâmpadas nada econômicas que você trocou.

13 – você vai ficar uns 3 dias sem entender porque sempre pega ônibus do mesmo lado pra ir a qualquer lugar e sempre passa por caminhos diferentes. Seriam os ônibus na verdade portais?

14 – o carregador paulista vai sacanear o seu sotaque. A tiazinha da entrega do mercado vai dizer que você fala difícil. O amigo do cara que te deu informação na rua vai afirmar: “ela não é daqui.”

15 – a cachorrinha dos seus primos (que docemente ofereceram aconchego enquanto você compra e arruma as suas coisas) vai ter um dia de loucura e roubar suas meias e suas roupas íntimas de microfibra pra comer sob a cama. E ai de você se tentar pegar!

16 – as Casas Bahia do bairro (que são maiores que as Casas Bahia de shopping do Rio) só vão ter fogões caros

17 – seus vizinhos serão um bigodudo metido a cantor e sua família barulhenta.

18 – seu amigo mais virtual vai gastar mais tempo reclamando do quão longe do metrô você foi morar do que tentando encontrar uma maneira de te ver e matar saudades de muitos anos.

19 – seu amigo mais furão e que soube da sua mudança por último vai brigar com você. E mesmo assim vai continuar o papo, te mandar mensagens bonitinhas e marcar uma visita pra janeiro.

20 – sua amiga mais furona vai te incluir na badalação que será a viagem de compras de 4 dias que fará em meados de novembro.

21 – em 5 dias sua ficha de que está sozinha ainda não terá caído, e você já se preocupa com o dia em que entender que não está viajando-e -volta-já.

…….. 21b – em mais de 6 horas sem ligações ou torpedos de ninguém, você corre atrás, porque não é instantaneamente que se torna normal não falar o tempo todo com as pessoas de todo dia.

22 – e mesmo com tudo novo e estranho, você estará feito pinto no lixo e já terá feito uma dancinha de “essa é a minha casa” escondida no banheiro, porque da cozinha os vizinhos teriam te visto.

=)

Preguiça da “Fase 1”

Mari e eu no MSN. Tudo começou com a pergunta: “e aí, amiga, como vai fulano-pretenso-peguete?”

Muitas respostas, risadas, reclamações e constatações (“mulher só se ferra e continua insistindo”, “já desencantei de conhecer gente legal”, “as freiras é que são felizes”) depois, quando a conversa já ia dobrando o Cabo da Esperança, e a Mari já queria saber onde será que se conhece um cara legal hoje em dia, dado o fato de que já não temos mais o mesmo pique pra nights, e que é coisa de filme receber um pedido de namoro na rua de um desconhecido hetero, solteiro e que faça seu tipo, pelo menos, eu vim com o pensamento:

[mode COPY & PASTE on]
Às vezes eu acho que a gente devia aproveitar pessoas que já conhece pra – sei lá, nao sei, quem sabe! – dar certo.
Não só porque é alguém que você já sabe como funciona, que pode confiar e de repente até já conhece a família, mas porque ando com uma certa preguiça também!

Pense bem em todo o trabalho que dá:
conhecer um cara, explicar a minha vida, meus gostos, ser sempre legal, estar sempre produzida, NUNCA usar um moletom e ter que ir a um monte de lugares “legais” – porque vocês ainda não têm intimidade pra ficar sem fazer nada juntos!
E ter que ficar pensando em presentinhos, porque você também não tem intimidade pra explicar que ODEIA escolher presentes pra quem mal conhece!
E NUNCA entrar na TPM. E se entrar, torcer pro cara ser compreensivo e perdoar todas as suas crises – nervosas, histéricas e gastronômicas.
E se, em meio a uma crise gastronômica, o peste resolve achar que você na verdade é uma comedora compulsiva, e calcula que daqui a 6 meses não haverá mais essa gatinha com quem ele tá saindo hoje?
Venhamos e convenhamos que um cara novo não gosta de você pelo que você é, mas sim pela sua aparência, né? E vice-versa.

Não pode ter nenhum problema que não saiba resolver, não importa se é uma unha quebrada, uma barata louca, um vidro de palmito, ou um computador bichado! Porque ele vai te achar fresca, enjoada, fraca, burra, e ainda ficar aborrecido que uma garota que ele mal conhece tá pedindo favor!
Ah, pera lá! Ainda tem o fator: tem que estar atualizada, pra saber falar sobre tudo! Pelo menos no geral! Tem que saber que o Rubinho ganhou a corrida hoje, e tem que ter uma opinião definida sobre isso, e saber que tem um babado acontecendo no senado, com o Sarney, e que o Lula tá abafando. E que proteína aliada a uma vida de exercícios é uma ótima receita de saúde, além do fato de que…
Puntaqueoparel! Manda um amigo de infância pra cá, correndo, que eu to possuída!
[mode COPY & PASTE off]

Sou só eu – e a Mari, que riu e concordou de e com tudo o que eu disse – ou essa “fase um” dos relacionamentos é bacana pra quem está curtindo a vida adoidado, mas pra quem trabalha, faz mil cursos, tem filho, ou tem trocentas outras atribulações que tomam seu tempo e paciência, ou pra quem já teve sei lá quantas fases um na vida, em relacionamentos que depois viraram água de batata, todo esse momento “vamosnosconhecer” vira uma obrigação ultracansativa?

: Resgate

As coisas que você gostava, os sonhos que você tinha, atividades que você fazia…

Quantas destas coisas foram em vão? Quantas o tempo levou? Será que você mudou tanto assim? Quantas delas você resgataria?

Não é o caso de chafurdar em memórias. Não é uma questão de olhar pra trás  lá ficar, se arrependendo de tudo o que já não é mais. E não é uma certerza, só uma pista: um pouquinho de passado serve pra se conhecer, se reconhecer, e ajuda a criar novas metas. Why not?

Se você ainda é aquele que queria ser diplomata, mesmo que hoje seja feliz advogando em vara de família, será que não queria um pouco mais do mundo? Então por que largou as aulas de inglês e nunca sai pra viajar? E se o seu dom sempre foi a dança, por que a faculdade de agronomia, que você – aliás – odeia com todas as suas forças?

Pensar, tentar, resgatar, reinventar-se… É de graça e você não precisa de mais ninguém pra isso – pelo menos não de forma direta.

Daquela que queria ser escritora, mas largou os blogs há 6 anos. Tô de volta!